Preservação do Cerrado encontra mercado a partir dos produtos da biodiversidade

compartilhar

Parceria com Central do Cerrado fortalece elo entre produção e consumo com melhoria dos modos de vida tradicionais

A preservação do Cerrado e o fortalecimento de suas comunidades tradicionais são o foco de ações que visam promover a valorização dos produtos da biodiversidade. A Central do Cerrado é uma das parceiras do Bem Diverso e reúne 21 organizações comunitárias de oito estados brasileiros (MA, TO, PA, MG, MS, MT, GO e Distrito Federal) no desenvolvimento de atividades produtivas a partir do que a natureza oferece.

Na semana em que se comemora o Dia do Cerrado (11 de setembro), o secretário Executivo da Central, Luis Carrazza, evidencia a ponte entre o conhecimento científico da Embrapa (executora do Bem Diverso) e a produção comunitária e tecnologias sociais para o desenvolvimento das cooperativas associadas. “O Bem Diverso apresenta uma importância estratégica muito grande por agregar um conjunto de pontos relevantes para as comunidades desde o manejo e processamento à agregação de qualidade aos produtos”, declarou.

A partir do acordo de parceria, firmado em agosto de 2018 com o Projeto Bem Diverso, a Central busca fortalecer o arcabouço de boas práticas de manejo da biodiversidade com consequente melhoria das formas de vida das comunidades, geração de renda local e preservação do Cerrado pelo seu uso sustentável. São diversos frutos, castanhas, polpas, óleos, farinhas, especiarias, temperos produzidos de forma tradicional em busca de mercado para chegar às mesas de todo o Brasil.

Objetivos para o fortalecimento do mercado

Para Carraza, ainda há que se fortalecer o elo entre produção e consumo para que os produtos estejam disponíveis de forma qualificada, com preço justo e respeitando os meios tradicionais de produção. “Para se ter êxito ao levar os produtos até o público em geral há que ser apresentar organização e profissionalismo desde a ponta da produção”.

É neste contexto que o Projeto e a instituição preveem o desenvolvimento de estratégias mais estruturadas de comercialização, apoio logístico, desenvolvimento de novos produtos, apoio a vendas em mercado online mais robusto para que os produtos da biodiversidade alcancem não só o mercado regional, mas o nacional e até o internacional. A relação entre qualidade dos produtos comercializados e a instrumentalização da gestão dos empreendimentos comunitários para acesso a mercados e crédito é outro ponto a ser desenvolvido pela parceria com o Bem Diverso.

Atualmente, a Central está sediada no Distrito Federal e vende alguns produtos pelo site. Desde 2016, os produtos também podem ser encontrados em um box no Mercado Municipal de Pinheiros, em São Paulo, ponto de venda viabilizado com o apoio do Instituto Atá, do chef culinário Alex Atala.

Para saber mais sobre os produtos da biodiversidade do Cerrado acompanhe o parceiro Bem Diverso Central do Cerrado pelo site e suas redes sociais. 

Lara Aliano, Agência MOC

Notícias Relacionadas

Engajamento das comunidades tradicionais reforça desafio da conservação dos biomas

Em evento temático em Brasília, representantes de povos tradicionais e consultores técnicos do Projeto mostram a importância...

Leia Mais