Oficina online oferece formação sobre como montar e ter sucesso no modelo de cooperativismo

compartilhar

Para aprofundar a discussão sobre a formalização de uma cooperativa agroextrativista junto ao Centro de Referência em Manejo de Açaizais Nativos no Marajó, o Manejaí, o Projeto Embrapa Bem Diverso realizou no dia 23 de fevereiro, a Oficina Manejaí Cooperativismo, para apresentar aos moradores locais o que é uma cooperativa, suas vantagens e desafios, esclarecer dúvidas sobre os aspectos legais e definir as linhas de ação para a formalização.

A intenção é que com uma cooperativa local, os agroextrativistas da região do Marajó possam fortalecer os arranjos produtivos locais, abrir o acesso ao mercado e possibilitar a venda direta dos produtos ao mercado local e regional. Pois grande parte da comunidade faz parte de uma classe economicamente menos favorecida, que depende de programas governamentais de transferência de renda. 

O Bem Diverso vê a possibilidade da cooperativa como uma alternativa econômica para compor a renda das famílias, auxiliando-as a saírem  da condição de vulnerabilidade social. Na abertura do evento, o coordenador técnico do Bem Diverso e pesquisador da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Anderson Sevilha, disse que com esse formato espera caminhar conjuntamente em busca de um comércio justo, com pagamento pelos serviços prestados. “É preciso levar essa ideia para a sociedade, para que ela reconheça esse trabalho e, a partir disso, a gente consiga alavancar o crescimento de modo sustentável”, disse Sevilha.

Durante o evento, uma das lideranças da União Nacional das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes), Fátima Torres, compartilhou as experiências vividas na organização e quais ações resultaram nos melhores resultados. Ela explicou que a sociedade tem uma visão torta do cooperativismo ao vê-lo como algo que não se pode crescer ou vender muito. “Economia solidária não tem relação com pequeno, com não poder crescer, ser pobre. Economia solidária é o modo de fazer, o fazer coletivo. Tem que juntar os agricultores e fazer volume, todo mundo produz pouquinho, mas junto tem volume”, ressaltou. 

Além de Fatima Torres, Diego Andrade do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Estado do Pará (Sescoop/PA) também participou compartilhando experiências do estado e Junior Fragoso, do Instituto Conexsus, conduziu o evento dando o passo a passo do que é preciso para montar uma cooperativa e propondo tarefas aos participantes para estimular o trabalho como cooperados. 

“Essa oficina foi fundamental para entender o processo de criação de uma cooperativa. É  importante conhecer e dialogar com pessoas que têm outras experiências fora de Portel para, a partir disso, traçamos metas”, afirmou Nilson Silva, um dos participantes da Oficina.

Segundo ele, a comunidade ficou animada com a oficina e planeja a fundação da cooperativa para o dia 19 de março, após reunião nesta quinta-feira (04), para discutir o  planejamento estratégico da organização.

O evento está disponível no nosso canal do Youtube. Acesse.