Inscreva-se! Oficina capacita em cafés especiais em Alto Rio Pardo

compartilhar:

O encontro ocorre de 24 a 26 de setembro no PAE Veredas Vivas. Interessados podem se inscrever no Sindicato dos Trabalhadores Rurais Assalariados e Agricultores Familiares

Intercâmbio entre produtores de café de São Gonçalo do Sapucaí e Alto Rio Pardo, Minas Gerais

Intercâmbio entre produtores de café de São Gonçalo do Sapucaí e Alto Rio Pardo, Minas Gerais



Intercâmbio entre produtores de café de São Gonçalo do Sapucaí e Alto Rio Pardo, Minas Gerais © Juliana Simões, Agência MOC

Agricultores da região do Alto Rio Pardo (MG), estudantes da Escola Família Agrícola Nova Esperança, técnicas e técnicos da região, ainda dá tempo de se inscrever para a Oficina de Capacitação em Esqueletamento de Café Especial. O encontro ocorre de 24 a 26 de setembro no PAE Veredas Vivas, em Rio Pardo de Minas, em MinasGerais. Os interessados podem se inscrever no Sindicato dos Trabalhadores Rurais Assalariados e Agricultores Familiares de Rio Pardo de Minas (STTR), na Rua João da Silva Mendes, 430.

O curso tem como objetivo nivelar o conhecimento entre agricultoras e agricultores, estudantes, técnicas e técnicos da região do Alto Rio Pardo em técnicas de manejo dos cafezais via esqueletamento com vistas ao aumento da produção de grãos de café especial em sistemas agroecológicos. A metodologia será composta de aulas teórico-expositivas, com recursos audiovisuais e aulas práticas de campo.

A oficina é realizada pelo Projeto Bem Diverso, em parceria com o STTR, o Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas (CAA), a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) e a Cooperativa dos Pequenos Agricultores de Vereda Funda (COOPAV).

Importância do café para a agrobiodiversidade

As comunidades de agricultores tradicionais do norte de Minas Gerais desempenham um papel fundamental na valorização e conservação da agrobiodiversidade da região por meio de uso de práticas centenárias de manejo de sistemas agroflorestais, localmente denominadas de chácaras de café sombreado.

As chácaras de café constituem-se em sistemas diversificados voltados para a produção de café de uma variedade tradicional conhecida como “Mundo Novo Antigo”, dentre outros produtos associados para uso local, alimentício e comercial.

O café sombreado cultivado nessas pequenas chácaras se destaca, portanto, como um importante componente da conservação dos recursos naturais, do fortalecimento da segurança alimentar e da organização social das comunidades locais.

Lara Aliano, Agência MOC