Bem Diverso destaca atuação para o empoderamento das comunidades em reunião do Comitê Consultivo do Projeto

compartilhar

A conservação pelo uso busca o fortalecimento das comunidades e resgate dos territórios e modos de vida tradicionais nos Territórios da Cidadania

O Bem Diverso registra mais de 1,1 mil pessoas capacitadas a partir do trabalho conjunto de Pesquisadores da Embrapa e parceiros, que já implementaram 54 unidades demonstrativas de manejo e restauração para a conservação da biodiversidade dos biomas e fortalecimento dos extrativistas familiares de comunidades tradicionais de seis Territórios da Cidadania.

Esses foram alguns pontos apresentados nesta quinta-feira (25) pelo coordenador do Bem Diverso, Anderson Sevilha, na reunião do Comitê Consultivo do Projeto. Estiveram presentes representantes da Diretoria da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa),  Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), ministérios do Meio Ambiente e Desenvolvimento Social, e o Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN).

Em execução desde 2016, o Projeto impulsiona uma rede de discussão que sai do conceito de preservação exclusivamente pelo isolamento em áreas de preservação e parte para a conservação da biodiversidade pelo seu uso a partir do resgate dos territórios e dos modos de vida das comunidades tradicionais que os habitam. “O nosso maior objetivo é que essa rede saia do controle para que as próprias comunidades deem continuidade às atividades de conservação e desenvolvimento dos   produtos oriundos dos frutos dos biomas, independentemente da atuação do Bem Diverso", apontou Sevilha como o legado do Projeto.

O potencial de disseminação foi destacado pela Oficial de Programa da Unidade de Desenvolvimento Sustentável do PNUD, Luana Lopes. “O Projeto é uma semente para que as comunidades se empoderem desse conhecimento e fortaleçam suas experiências para a conservação da biodiversidade”. 

Parcerias

O fortalecimento da produção local pelas parcerias com associações de produtores é outra vertente que traz resultados ao desenvolvimento do Projeto. Ao levantar as demandas das comunidades, o Projeto busca os meios de capacitar os agricultores para que eles possam ser replicadores do conhecimento junto com os técnicos da Embrapa, executora técnica do Projeto.  A parceria com organizações do governo e da sociedade civil que já atuam nas comunidades resultou na assinatura de seis cartas de acordo e do apoio Bem Diverso para o desenvolvimento de 11 projetos a serem executados diretamente pelos parceiros a partir da seleção em editais de licitação e fomento.

No encontro também foi discutida a possibilidade de traçar ações sinérgicas para a atuação do Projeto a partir das políticas públicas já desenvolvidas pelos ministérios do Meio Ambiente e do Desenvolvimento Social. A representante do Ministério do Desenvolvimento Social Camila Carneiro exemplificou estratégia da construção de uma marca coletiva a ser gerida e monitorada pelas associações para a agregação de valor aos produtos da biodiversidade. “Os produtos precisam chegar à mesa dos brasileiros tendo atendidos aos critérios de qualidade em sua produção”, reforça.

Acompanhe as atividades do Projeto pelas nossas redes sociais e no site.

Lara Aliano, Agência MOC